20 de julho de 2009

O CISNE NEGRO

Quando faço um poema fico tão contente que quero dividir o que sinto com outras pessoas. Por isso estou dividindo esta metade de mim. Neste poema vocês encontrarão letras maiúsculas no meio dos versos que é uma das características da escola simbolista. Faço isto para homenagear João da Cruz e Souza, Poeta Chamado por Alphonsus de Guimaraens de Cisne Negro e que foi proibido de ocupar um cargo de promotor público por causa da sua cor. Decerto, os adeptos da intolerância e do preconceito racial evitaram que O Cisne Negro fosse Promotor, mas não o impediram de ser reconhecido como maior representante do simbolismo brasileiro.

Amnésia

Tem uma Coisa que eu queria dizer
que nunca digo...
E minha Memória é tão viva.
Às vezes... Quase lembro.
Não consigo.
Por mais esforço que faço
Tem sempre alguma Força
Que me impede... me faz esquecer.
Sei que não faz sentido:
Como posso Lembrar o que não esqueci.
E uma vez Esquecido pra que lembrar?
Parece apenas um jogo,
Um trocadilho,
Um Cogumelo...
Se assim fosse me sentiria aliviada,
Suspensa desse Incômodo pensar.
Não posso, não consigo parar.
Estou numa vã hipnose
E as imagens se Amontoam
Como uma ardência...
E nada de lembrar.
Se pelo menos eu fosse ouvir Bach.
E esta Brisa sem mar.
Este Gosto sem par...
Deixe-me!
O que fiz? Pra merecer irrefutável companhia.
Chega de ser Cúmplice de algo que inebria.
Porque no fundo sei que você está aí
Esquivando-se... Sorrateira?
Onde? Venha! Me pegue com um beijar ou
Me jogue, me Largue nesse deixar.
O pior não é esquecer. Não é lembrar.
É ser perseguida por uma sensação
que não Acolhe nem abandona.
E este irredutível Esquecer...
Covarde! Por que não aparece de uma vez
ou some pra sempre?
Será o Poema que nunca desiste de mim?
E este inevitável Lembrar...
Tem uma coisa que eu queria dizer...
Se fosse Loucura eu saberia!
Uma coisa que eu queria dizer...
Se fosse Sonho desconfiaria!
Eu queria dizer...
Se fosse Dor eu sentiria!
Queria dizer...
Se fosse Amor não acreditaria!
Queria...

(RADEKA LOURENÇO)

4 comentários:

  1. Bach interessante...Cogumelo? Por que?

    ResponderExcluir
  2. Gostei.
    Abraço Radeka e todos. Parabéns pelo blogue.
    Voltarei.
    Inté!

    ResponderExcluir
  3. a nossa amizade pode haver varias virgulas mais nunca
    um ponto final

    ResponderExcluir
  4. o amor e o pior crime que existe;te sequestra ,teengana e depois ...te mata de beijos e abraços

    ResponderExcluir

Ternura Sempre...