31 de julho de 2010

   A  BÍBLIA  

(Jonas Serafim)

01.  A BÍBLIA conta no GÊNESIS
a história do mundo e dos seres
e na história da Criação
Deus é o autor verdadeiro,
é o Testamento primeiro
da sagrada revelação.

02.  No princípio tudo era bom,
a vida toda sendo um dom,
havia jardim e um paraíso,
Adão e Eva eram felizes,
não havia nada de crise
e ninguém era oprimido.

03.  Mas surge Caim contra Abel
dividindo a Terra e o Céu,
matando o seu próprio irmão,
enfurecido por inveja.
E com Noé o que se espera
uma Aliança de conversão.

04.  E sobre a terra caiu um dilúvio
cobrindo de água o mundo,
restando de tudo a Promessa,
que apesar de Babel opressora,
a providência mão criadora
chama Abraão e tudo recomença.

05.  É a história do povo de Deus
com Isaac, Jacó e os hebreus,
com Sara, Rebeca e Raquel,
com José vendido aos egípcios,
com Moisés, o Êxodo e o exílio...
Essa é a história de Israel.

06.  Seguindo depois o LEVÍTICO,
livro sagrado dos ritos;
temos NÚMEROS do povo em ação
rumo à terra prometida
tendo uma nova política
do povo de Deus em libertação.

07.  O livro do DEUTERONÔMIO
tem uma Aliança, um sonho,
que forma o pentateuco.
E lendo os livros  históricos
Israel é o grande foco
na luta por justiça e direito.

08.  Nas escrituras de JOSUÉ
une terra, vida e fé.
e entre as tribos dos JUÍZES
a saga de Sansão e Dalila
tem amor, traição e justiça.
São essas as nossas raízes.

09.  E na luta dos pobres tem RUTE
que ensina o povo que lute
a exemplo da Ana e SAMUEL
que alerta o risco da monarquia,
e pra tirar de Saul a anarquia
Davi é ungido rei de Israel.

10.  E seguindo no livro dos REIS
Salomão é o sábio da lei
foi quem fez um grande Templo
na cidade de Jerusalém,
mas não governou muito bem,
o palácio era o seu centro.

11.  Revendo um pouco a história
nas CRÔNICAS tem a memória
junto com ESDRAS e NEEMIAS,
o povo judeu em organização,
após o exílio, a reconstrução,
é o judaísmo que prosseguia.

12.  Em outros textos sagrados,
TOBIAS e JUDITE são encontrados,
mais a famosa história de ESTER,
e a resistência dos MACABEUS
na luta do povo de Deus
mostrando a vitória da fé.

13.  Nos escritos sapieciais
o resumo é justiça e paz,
como ensina no livro de JÓ,
nos SALMOS  e nos PROVÉRBIOS;
e em ECLESIASTES contra o tédio,
reflete o sentido sob o sol.

14.  Nos CANTARES de Salomão
o amor é a revelação.
ECLESIÁSTICO e  SABEDORIA
a justiça é imortal,
o bem vence o mal
e a natureza se recria.

15.  Na literatura profética
a santidade de Deus é certa:
ISAIAS, JEREMIAS, e EZEQUIEL,
DANIEL, BARUC, OSÉIAS e ABDIAS,
JONAS, MIQUÉIAS, NAUM, e SOFONIAS,
AMÓS, HABACUC, AGEU e JOEL,

16.  ZACARIAS, MALAQUIAS e LAMENTAÇÕES,
todos anunciaram a conversão.
E adiante no Novo Testamento
a nova Aliança chega com Cristo,
é o cristianismo no início,
o Evangelho é o novo fermento.

17.  MATEUS, MARCOS, LUCAS e JOÃO
são Evangelhos da revelação,
e ATOS DOS APÓSTOLOS é
a ação do Espírito Santo,
como diz na carta aos ROMANOS
a salvação vem pela fé.

18.  E nas cartas de são Paulo,
com Cristo acaba o escravo,
em CORÍNTIOS, GÁLATAS e EFÉSIOS,
FILIPENSES, TIMÓTEO e COLOSSESNSES,
FILEMON e TESSALONICENSES,
traduzem um novo credo.

19.  Tembém TITO e HEBREUS,
falam de Jesus, galileu;
como a fé e a obra em TIAGO;
como as cartas de PEDRO e JOÃO
e de são JUDAS, outro irmão,
todos confiantes e animados.

20.  E por fim, o APOCALIPSE
é tudo o que o anjo disse
e revelou ao servo João,
é o testemunho de Jesus Cristo,
é a mensagem do Santo Espírito,
é de Deus a Revelação.

21.  Às sete igrejas da Ásia,
Jesus, o Ômega e o Alfa,
é o aníncio de conversão.
Um novo céu e uma nova terra,
é assim que a história encerra
e continua nossa missão.

+ + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + + 

Ainda resisto

Não entendo. A vida não pode ser só isso.
Eu me recuso a acreditar que é só isso.
Não... Por quê? Pra que?
Viver... Viver... E sonhar.
Sonhar um sonho vil e pequeno.
Não que eu queira viver eternamente.
Mas, bem que seria diferente
se ao invés da ilusão,
nós aprendêssemos o sentir da vida...
a alfazema do olhar,
o pulsar de mãos renhidas,
o doce frescor do lutar,
e o sorrir do amigo.
Já pensou se plantássemos ternura...
Qual seria o adubo do solo de nossas vidas?
Certamente, não seria desgosto, tristeza,
raiva, oportunismo, excesso atroz de ironia ,
pandemias, caos, inveja, desesperança,
fomecídio, falta de afeto.
Estou espantado!
É duro depois de tanto tempo
perceber que a vida é convulsão lazarenta
repleta de infortúnios e desgraças.
Se ao menos respirar não fosse tão cruel,
se o hoje já não fosse amanhã
e o amanhecer não fosse retrato do ontem.
Basta! Não quero desencantar ninguém.
Se possível gostaria de ser ação
ao invés de palavras,
rosto e não lágrimas.
Como é mesmo aquele verso de Bandeira?
“Que importa a paisagem,
a Glória, a baía, a linha do horizonte?
— O que eu vejo é o beco”
É. Definitivamente,
estou convencido
que viver só vale a pena
pra quem sabe o sabor caviloso do resistir.
Escuta. Você pode me ouvir?
Ocupado. Desconfiei...
O apreço pode esperar.
O amor ao preço não.
E eu tão ingênuo,
esperava um único gesto de bondade,
Atenção, compaixão, silêncio...
Só. Solidão e pavor.
E o que fazer ?
Se a dor e o lavrador
da mentira
próspera e abastece o ignorar
de seres arrogantes
que se plenificam.
Como ter paciência?
Chega de Lenine,
não suporto mais fingir.
Não. Não pode ser...
A vida é só isso?
Mas, não virarei um cético.
Ainda resta o caminhar,
o prosseguir, o cavalgar do pólen das rosas
no velejar do vento.
Apesar da poeira no rosto,
da vista embaçada e dos pedregulhos...
Não serei eu quem puxará o gatilho.
Não. Não virarei protagonista
de mais uma cena
dessa sociedade espetaculosa
que sensacionaliza sentimentos
e se aprofunda em bestialidades impares.
Lamento. Estou cansado.
Insuportavelmente cansado.
Flébil neste impedernismo sem órbita
Onde vagabundear traduz-se
como se fosse bandidagem.
O viver é pior do que sobreviver,
Pois, os valores foram distorcidos
E a humanidade prega o bem
Mas enraíza a desigualdade.
Constrói templos e igrejas,
Mas pratica infanticídios
Propõe justiça e se lambuza em atos tiranizados,
Engessados pela mordaz forca da vaidade.
O homem se superou,
Atingiu o ápice e esqueceu o trivial,
O mais simples,
Deslembrou o vizinho e o
O lado verde da certeza
que fortalece,
Desamparou o encontrar da verdade
sem grosserias,
e concentrou sua busca
no desejo pífio e incólume
da paz pela paz.
Quem outrora protestava
Agora dinamita, amordaça
Ameaça aterrar o mar
Que propõem dignidade.
Mas...
Acredite... ainda resisto.

Cantando...

"Meu companheiro,
Que sai de casa e na vida cai
das cacetadas desses anos todos
eu fiquei mais velho
que meu velho pai"

(Razek Seravhat)

25 de julho de 2010

CHE!

“Os poderosos podem matar uma, duas ou três rosas, mas jamais conseguirão deter a primavera inteira.” Che

Por uma utopia concreta, por um mundo eco-socialista, pelo movimento negritude e por uma política que chegue aos trabalhadores e trabalhadoras. É por isso que acreditamos que é possível transformar a sociedade e construir um mundo justo, digno, terno e fraterno.

“Se você é capaz de tremer de indignação a cada vez que se comete uma injustiça no mundo, então somos companheiros. “ Che

19 de julho de 2010

De Eduardo Galeano

Sobre nossas lutas cotidianas...

"Son cosas chiquitas. No acaban con la pobreza, no nos sacan del subdesarrollo, no socializan los medios de producción y de cambio, no expropian las cuevas de Alí Babá. Pero quizá desencadenen la alegría de hacer, y la traduzcan en actos. Y al fin y al cabo, actuar sobre la realidad y cambiarla, aunque sea un poquito, es la única manera de probar que la realidad es transformable." Eduardo Galeano

18 de julho de 2010

Código Florestal e o Estado de Direito Ruralista

Igor Felippe Santos* Da página do PCB

A Constituição Federal determina no seu artigo 5º que “a propriedade atenderá a sua função social”, senão deverá ser desapropriada e destinada à Reforma Agrária, com exceção de pequenas propriedades e áreas produtivas. A função social é cumprida, de acordo com o artigo 186, quando, de forma simultânea, o proprietário faz um aproveitamento racional e adequado; preserva o meio ambiente; respeita as leis trabalhistas e favorece o bem-estar social.

De acordo com censo agropecuário, 50 mil latifundiários com mais de mil hectares controlam mais de 43% das áreas agricultáveis (em torno de 146 milhões de hectares). Só está garantida a manutenção da posse das suas propriedade se a sua atividade estiver acima de índices mínimos de produtividade, cumprir a legislação trabalhista e ambiental.

Será que os latifundiários do agronegócio respeitam a Constituição Federal e cumprem a função social da propriedade? Pela movimentação política de suas entidades de classe e representantes no Congresso, podemos afirmar que não.

Retrocesso

Foi aprovado relatório do deputado federal Aldo Rebelo (PcdoB) na comissão especial que discute alterações no Código Florestal, na primeira semana de julho. Agora, o projeto será votado no plenário da Câmara dos Deputados. As entidades ambientalistas e os movimentos sociais do campo avaliam que as mudanças representam um retrocesso para a política de preservação ambiental, mas também para a Reforma Agrária.

O relatório aprovado na comissão prevê, entre outros pontos, anistia a todos os latifundiários criminosos que desrespeitaram o Código Florestal até julho de 2008. Ou seja, o conceito constitucional de função social não foi cumprido e essas terras deveriam ser desapropriadas, no entanto, os proprietários serão perdoados. O crime compensa para os ruralistas… Milhares e milhares de hectares que deveriam se transformar assentamentos de sem-terra vão continuar nas mãos de criminosos que não aceitaram a legislação ambiental em vigor.

Institucionalização da ilegalidade

Mesmo antes dessa reforma Código Florestal, o Estado brasileiro vinha sendo omisso. Desde 1988, apenas duas propriedades que descumpriram a legislação ambiental foram destinadas à Reforma Agrária, como determina a Constituição. Se o Congresso Nacional aprovar essas mudanças, o agronegócio conseguirá institucionalizar a ilegalidade de desmatar, manter as propriedades e escapar da desapropriação.

Não é novidade esse procedimento da parte dos ruralistas. É a mesma “técnica” que utilizam com os índices de produtividade. Com sua força política, impedem o cumprimento da Constituição e da Lei Agrária, que obrigam o governo atualizar a tabela com a média da produção de cada localidade, que serve de referência para as desapropriações.

Os índices usados atualmente são de 1975. De lá pra cá, mesmo com toda a propaganda da produtividade do agronegócio, não aceitam parâmetros atualizados para definir a improdutividade. Mesmo com o descumprimento da legislação, a senadora Kátia Abreu (DEM-TO), presidente da CNA (Confederação Nacional da Agricultura), tenta nos porões do Senado fazer uma manobra para mudar a lei e descaracterizar os índices de produtividade.

Mais uma vez, os interesses dos ruralistas conseguem se sobrepor à Constituição, às leis que regulam a Reforma Agrária e às necessidades dos trabalhadores rurais. O Estado de Direito dos ruralistas se sustenta sobre uma lógica bem simples: cumprem as leis que “interessam”, ignoram e mudam aquelas que os prejudicam.

Tomara que a sociedade brasileira se posicione contra a aprovação dessas mudanças no plenário da Câmara, que viabilizam o avanço do agronegócio e das empresas transnacionais sobre as nossas terras. Um bom começo é questionar os candidatos à Presidência, aos governos estaduais e ao Parlamento sobre o que propõem em relação ao Código Florestal e, principalmente, se vão se curvar à bancada ruralista e ao agronegócio, que têm um poder que paira sobre a democracia.

*Igor Felippe Santos é jornalista, editor da Página do MST, integrante da Rede de Comunicadores pela Reforma Agrária e do Centro de Estudos Barão de Itararé.

9 de julho de 2010

O Poeta de Itabira

Não rimarei a palavra sono
com a incorrespondente palavra outono.
Rimarei com a palavra carne
ou qualquer outra, que todas me convêm.

(A Rosa do Povo, Drumonnd,1997. p.9)

Acredita-se que estes versos retratam, senão com fiel exatidão, a figura de Drumonnd, ao menos, são os que mais se aproximam da tentativa vã de resumir, sem profundidade investigativa, aquele que cada vez mais se reafirma como um dos maiores nomes da literatura portuguesa.

4 de julho de 2010

Tasso e Cals visitam Caucaia e lamentam que STF libere candidatos 'Ficha Suja'



A manchete acima foi publicada no O Povo online, no dia três de julho de 2010. E quem a lê, pode até acreditar que realmente Tasso e Cals estão preocupados com os recursos públicos, Entretanto...


Avião fretado por Tasso é pago com dinheiro do senado

O senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) tem o hábito de usar parte de sua verba oficial de passagens aéreas para fretar jatinhos que são pagos com recursos do Senado. O ato da direção da Casa que regula o benefício não permite esse tipo de procedimento, mas o tucano diz ter obtido autorização especial para fazer as suas viagens. Entre 2005 e 2007, Tasso gastou R$ 335 mil. Depois, as despesas foram publicadas sem registro de seu nome. De lá para cá, foram mais R$ 134 mil, totalizando R$ 469 mil, segundo o Siafi (sistema de acompanhamento do Orçamento). Tasso tem o seu próprio avião, um jato Citation. Ele afirma que recorre a fretamentos quando o seu está indisponível. O senador afirma que em 2005 e 2006 o uso de jatos fretados foi alto (há nove registros de pagamento) em parte porque na época ele presidia o PSDB. Admite, assim, ter usado a verba de passagens do Senado para viagens partidárias.Foram pelo menos 16 pagamentos feitos pelo Senado desde 2005. A ONG Contas Abertas, especialista em analisar o Orçamento, fez pesquisa em todas essas despesas. Tasso só aluga jatinhos da empresa TAM. Nem sempre há a identificação dos trechos voados nem se os valores pagos se referem a uma ou a mais viagens. (Blog do Mesquita)

Desvio de R$ 30 milhões é apurado pela PF no Ceará

A Polícia Federal (PF) executou mandado de busca e apreensão ontem no gabinete da 1ª secretaria da Assembleia Legislativa, ocupado pelo deputado estadual José Albuquerque (PSB).O esquema funcionaria dentro de órgãos públicos estaduais e cerca de dez prefeituras municipais.O mandato de busca e apreensão faz parte da Operação Goliath, deflagrada ontem pela PF, que investiga um esquema de corrupção que estaria desviando recursos públicos em órgãos administrativos do Governo do Estado e em cerca de dez prefeituras cearenses. Na ação de ontem, três pessoas foram presas.Um dos presos é o empresário Jânio Falcão do Carmo, que é ex-assessor parlamentar de Albuquerque e, pelo menos até janeiro deste ano, esteve lotado no gabinete do deputado estadual Marcos Cals (PSDB), recém lançado na disputa ao Palácio Iracema.( Pedro Alves, O Povo online)

Como se vê, As contas da burguesia são pagas por nós trabalhadores e como eu não sou adepto daquela máxima “ me engana que eu gosto”, convido a todas e todos a pensarem melhor no mundo que querem deixar para os que virão depois de nós. Como diria uma antiga canção que aprendi com a professora Raimunda Tavares, “O que será do futuro que hoje se faz... a natureza, as crianças e os animais...”