11 de abril de 2011

Mundo Acadêmico

9 comentários:

  1. Razek,
    Vi teu comentário no blog Tributo ao cordel.
    Me envia teu e-mail.
    Nando Poeta.

    ResponderExcluir
  2. Querid Razek. Não consegui postar , então segue por aqui o poema

    Eu gosto de ler gostando
    De Solano Trindade

    Eu gosto de ler gostando,
    gozando a poesia,
    como se ela fosse
    uma boa camarada,
    dessas que beijam a gente
    gostando de ser beijada.

    Eu gosto de ler gostando
    gozando assim o poema,
    como se ele fosse
    boca de mulher pura
    simples boa libertada
    boca de mulher que pensa...
    dessas que a gente gosta
    gostando de ser gostada.

    ResponderExcluir
  3. Obrigado minha querida.

    Penso que eu que deveria ser grato por conhecer uma pessoa como você, que respira presteza.

    ResponderExcluir
  4. felicitações...beijos achocolatados

    ResponderExcluir
  5. Ô meu querido...Já passei por momentos tenebrosos em minha vida...
    Mas quando a dor parecia imensa eu sempre pensava que poderia ser muito pior.Porem tambem sempre me neguei a ficar amarga, hostil e fria em relação ao mundo.
    Por mais que me ferissem, por mais a fome me judiasse, por mais que tentassem me molestar, eu sempre acordava no outro dia imaginando que aquele dia seria melhor.
    Sempre trouxe no meu rosto esse sorriso, mesmo que as lagrimas rolassem junto com ele.
    Perdi minha mãe, meu pai nos abandonou, minha mãe nunca gostou de mim, fui abandonada, adotada por pessoas que tinham quase que desprezo por mim e só vaorizavam o dinnheiro, fui maltratada verbalmente, fui molestada, fui colocada na rua...mas sobrevivi, e hoje o que tento passar pra todos é que a vida por mais dura e feia que possa parecer, é digna de ser vivida.
    Digna de ser agradecida por cada minuto de ar que respiramos.
    Nunca permitirei que a dor me ofusque o sorriso, que enegreça meu coração. Apesar de tantas tragédias
    que as vezes nos deixam sem ação, e com medo e até revoltados, eu ainda acredito no ser humano, porque veja bem meu querido, não são todos que são maus.
    O mundo, nos presenteia todos os dias com coisas maravilhosas, então acho que ao invés de ficarmos revoltados, amargos e sem fé.devemos acreditar, fazer nossa parte, aquilo que nos é possivel fazer.
    É o que tento fazer, ajudar e cuidar ao menos daqueles que estão proximos de mim, já que cuidar do mundo todo eu não posso. Aceitar o que está alem de nossas forças é crescer...é viver bem.
    Você certamente é uma pessoa de um coração muitissimo sensivel pois se compadece das dores do mundo, e creia eu tbem sou...Choro, sofro, me magoo com tanta atrocidade.
    Mas não me privo de sorrir de ser feliz e de fazer feliz os que estão por perto.
    Talvez por eu escrever poemas de amor, vc pense que sou uma futil alienada, mas creia não sou e entendo muito bem das dores do mundo.mas quando elas me afligem eu as choro todas de uma só vez...assim meu coração não as carrega pra sempre...Não somatizo dores, somatizo felicidades...
    O mundo anda triste, e só nos podemos fazer dele um lugar um pouquinho melhor.
    E eu faço o que posso.sem me cobrar nada alem disso.
    beijos querido te desejo paz e muita , muita alegria.

    http://www.youtube.com/watch?v=zETRc4_DKxw

    ResponderExcluir
  6. Concordo em plenitude. E só uma correção, você em nada parece fútil, nem mesmo quando fala de amor que diante da fome é um assunto "fútil".

    Sigamos...

    Ternura sempre!

    ResponderExcluir
  7. Olá!

    Aceito sua opinião e concordo com a liberdade de expressão, por isso escrevo aquilo que sinto. Sei que existem pessoas em situações de carência, mas não posso deixar de usar a única maneira de externar minhas dores porque outros sofrem, não por minha causa, mas por vários motivos, inclusive sociais e políticos...

    Quero chamar sua atenção sobre isso que vc comentou;

    ..."Mas estou farto de poemas perfeitos e amores desfeitos, estou farto de sentimentos que só se concretizam no ideal do eu-lírico, chega! Não suporto mais ouvir lamentos de ais perdidos na vaguidão de quem não merece ser lembrado, tampouco saberá corresponde a um amor posto e sincero e estou até o nariz com estas dores que afogam, maltratam....

    Sabe, tudo que escrevo, de uma forma direta ou indireta é fruto de uma perda, de uma morte, perdi uma pessoa que amo muito. Ele so tinha 29 anos, é a minha dor, e ele merece ser lembrado, ser amado. Ainda que eu construa novamente minha vida com outra pessoa ele será lembrado nas minhas escritas, na minha memória, no meu coração,e nada trará ele de volta, senão as nossas boas lembranças, escritas por mim....

    Por isso é muito importante se conhecer a dor de alguém, o porq de textos melancolicos, de dores que parecem não ter fim...

    Mas fico agradecida pela tua visita, agora sabes o motivo da minha escrita...

    Bjss e boa sorte!

    Mila Lopes

    ResponderExcluir

Ternura Sempre...