6 de agosto de 2012


VIDA-MÃE





Ao nascer começamos já a transformação
sentindo a vida no útero, na terra e no cosmos
enraizados naquilo que somos
sementes criativas e em evolução.

Revelamos a cada instante que respiramos
a essência do amor do ser vivente
que é pleno na imortalidade sempre
a vida-mãe, matriz em que humanizamos.

Maternidade que nos faz mais gente
realiza os sonhos com resistência
carrega no colo o fardo pesado.

Mãe-vida, vida-mãe da existência
olha agora os teus filhos amados
no teu aprendizado simples e paciente.

*************************************************************
Jonas Serafim. Em memória da morte de minha mãe
 NEUZA, em 22/07/2012.
*************************************************************

3 comentários:

  1. Um poema terno e leve para um instante forte e difícil. Sigamos...

    Ternura sempre!

    ResponderExcluir
  2. Uma face profunda da poesia, do sentimento! Estamos juntos!

    ResponderExcluir

Ternura Sempre...