18 de agosto de 2009

Pérola Negra

Teu sorriso sem ruído
Revela toda alegria de viver
Como uma sonata que sussurra
Enchendo meus olhos de prazer

Como uma Pérola Negra
De beleza singular
Obra-prima da natureza
Que me faz escravo do teu olhar

E na delgadeza da silhueta
Que tua sombra projeta
O perigo do silvo e a simetria
Na simpatia que apaixona o poeta

Esse olhar meigo e terno
Enquanto o suspiro responde
O desejo de sentir teu calor
Como te encontrar. Onde?

Talvez nas ondas do mar
Nas águas das lágrimas cristalinas
Quem sabe nos jardins do éden
No coração do beija-flor, menina.

Juan Di Brechó

Um comentário:

  1. Não sei fazer poemas de amor. Nunca soube, mas admiro quem tem esse dom.

    ResponderExcluir

Ternura Sempre...