29 de junho de 2012

Opinião



Ponderações sobre os 10% do PIB. Fraternalmente...
“O PNE estabelece 20 metas educacionais que o país deverá atingir no prazo de dez anos. Além do aumento no investimento em educação pública, o plano prevê a ampliação das vagas em creches, a equiparação da remuneração dos professores com a de outros profissionais com formação superior, a erradicação do analfabetismo e a oferta do ensino em tempo integral em pelo menos 50% das escolas públicas. Todos esses objetivos deverão ser alcançados no prazo de dez anos a partir da sanção presidencial.” (Fonte Carta Capital)
Esta semana a Carta Capital, divulgou em sua página virtual, cinco das vinte metas que o Plano Nacional de Educação (PNE), que foi aprovado na Câmara, mas que ainda vai ser aprovado no Senado precisa atingir em dez anos, com o governo investindo ao longo de uma década 10% do (Produto Interno Bruto) PIB em educação.
Esta bandeira foi exaustivamente defendida pelos movimentos sociais e clamorosamente comemorada por alguns participes que se envolveram profundamente nesta pequena conquista, eu me refiro aos intensos movimentos feitos em prol de se conquistar 10% do PIB para a já tão desvalorizada educação, embora o discurso seja bem outro, ainda mais em ano eleitoral e, sobretudo, por parte da governança e dos oportunistas e iluminados que se sentem representantes do povo. E aqui está claro um contrassenso entre o discurso e a prática de quem diz que governa este país. Pois, se a educação em um País é prioridade, não deveria existir resistência por parte do Governo em atender essa reivindicação tão ensejada pelos movimentos sociais.
Por outro lado, não vejo muito sentido, embora entenda a euforia, em estar se jogando tantos fogos e balões pedagógicos nesta conquista parcial. Primeiro, porque ecologicamente não é nada educativo soltar balões e segundo porque acredito que a educação não pode ficar refém de uma grandeza capitalista que mascara uma realidade social absurdamente desigual para impor os louros de uma verdade maquiada.
Por isso, sempre acompanhei e vou continuar acompanhando este movimento por 10% do PIB para educação, com muita cautela. E aqui está um argumento que não sei se é pertinente, mas que para mim, parece convincente: O cálculo do PIB não leva em conta o trabalho doméstico e o trabalho voluntário e ignora atividades necessárias a sustentabilidade do Planeta como a absorção dos custos da poluição e a reciclagem de efluentes.
Proponho cuidado. De fato é uma etapa que foi superada e que merece alegria, não euforia. Vou usar a paixão nacional para exemplificar o que estou tentando dizer. Nenhum torcedor do Botafogo, nem o mais apaixonado, comemoraria um gol de pênalti em um amistoso contra o América do Iraque, como se fosse um gol de placa em final de campeonato mundial e marcado por Louco Abreu que é o jogador mais contundente em atividade no futebol brasileiro.
Agora, para o leitor que não gosta de futebol e por isso não entendeu nada do que eu tentei explicar e deve ter achado até de mal tom, o uso do termo América do Iraque. Eu explico: O termo América do Iraque só foi usado porque em qualquer lugar, seja aqui ou na Ásia, tem sempre um clube chamado América e quem acompanha futebol sabe disso. Não tenho nada contra o povo iraquiano que resistiu bravamente a esdrúxula invasão das tropas Norte-Americana, que tiveram inclusive o consentimento da Organização das Nações Unidas ONU) para invadir, massacrar e aterrorizar, em nome do fim do terrorismo. Outra, assim como quem exagera o argumento prejudica a causa, também prejudica a causa quem se contenta com migalhas ou paliativos que não vão resolver ou podem apenas, diminuir sensivelmente, o caos em que se encontra a atual educação brasileira.

Educação, para este humilde professor da esquecida periferia, deveria ser um acontecimento mais importante que a Copa do Mundo. Um acontecimento que mobilizasse gestores, prefeitos, governadores, secretariado especial, procuradores gerais do Estado, do Município, da República e, obviamente, o chefe maior da Nação, que por sinal teria o respaldo, de junto com os parlamentares e a população alterar regras, leis e estatutos do nosso País, sem corrente, mas envolto de um só coração, de uma só vontade, para fazer a educação funcionar desde os grotões do sertão pernambucano até os cerrados do sul mato-grossense. Afinal, trata-se de um evento único e essencial para as nossas crianças, que vendo o nosso zelo e envolvimento, desde cedo entenderiam o quanto a educação pode ser transformadora e libertadora como assim gostam os Freireanos.
Acredito, sinceramente, que se um sêxtuplo dessa empolgação e dessa seriedade que é dedicada a Copa de 2014, não só por parte dos políticos, mas de toda Nação, fosse desviada para atender a educação, indiscutivelmente, o estudante saberia aritmética, aprenderia a ler e se afeiçoaria ao respeito mútuo e a dignidade social. O professor, por sua vez, sairia do manguezal de lamúrias e quem sabe pudesse até se enxergar não como um mestre que a tudo responde, mas como um livre docente que mesmo tendo chegado ao ápice de sua escolaridade, compreende que ainda há muito que caminhar, o que ouvir e principalmente o que aprender.

Assim, quando o analfabetismo funcional fosse extinto de nossa Escola e o Brasil fosse o campeão em educação e não o octogésimo oitavo pelo ranque da (Organização para a Educação, a Ciência e a Cultura das Nações Unidas) UNESCO, nós comemoraríamos não somente como um botafoguense apaixonado, mas com o entusiasmo de um torcedor de qualquer clube do mundo quando vê seu time marcar o gol da vitória em uma jogada que ratifica o título de hexacampeão.
Augusto César Tavares da Silva, Professor de matemática elementar em escolas públicas do município de Fortaleza.

2 comentários:

  1. Camada Augusto, professor e poeta, crítico e louco de amor pela vida, comungo contigo nesta luta pela educação.
    Queremos mais professores e menos vereadores...
    Abraço.

    ResponderExcluir
  2. Boa tarde!
    Hoje deixo um Ctrl-C,
    mas rico em sinceridade.
    Pois, são muitos os amigos
    que irei visitar nesse dia
    da Amizade!
    "Um abraço de Amigo, dado com
    sinceridade, dura por uma Eternidade!"
    Feliz dia da Amizade!"

    ResponderExcluir

Ternura Sempre...